sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

> http://www.recadosface.com/imagem/9790.html

domingo, 18 de março de 2012

Dia, 19 de Março- Dia do Pai

Meu Pai

Tenho chamado...
sei que me ouves onde estas.
Mas não consigo ouvir sua voz
te busco... não te encontro.
Sei que estas do meu lado...não posso te ver
só essa dor infinda no peito....
essa saudades que dói...machuca.

Ah! MEU PAI, como queria você aqui comigo.
sentiria seu braço forte a me amparar
como quando criança...me protegia
me guardava de todas as dores.
Hoje sofro só, você não esta mais aqui comigo
me amparando , me dando forças pra viver.
Sem você fico perdida desprotegida.
Isso penso eu ... meu pai
sei que de onde estas cuida e zela por mim.
Continuo sendo sua menina mimada
a luz dos seus olhos.

Deus só deu a mim para você
e como filha única sempre mimada.
Hoje não tenho quem me mime mais.
Aprendi a me defender sozinha e lutar
cresci MEU PAI aqui estou
deixando para você todo meu carinho...meu amor...
eu te amo.

Sempre estarás comigo e no meu coração
nas minhas lembranças...

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Corrida Sempre Mulher-2011


Por motivos alheios á minha vontade não cheguei a tempo de ir receber
os dorsais por isso não enverguei a camisola, mas valeu sempre pela inscrição
 e pelo encontro com amigas




Uma foto muito ternurenta
Posted by Picasa

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Saudade

A Minha Saudade Tem o Mar Aprisionado

A minha saudade tem o mar aprisionado
na sua teia de datas e lugares.
É uma matéria vibrátil e nostálgica
que não consigo tocar sem receio,
porque queima os dedos,
porque fere os lábios,
porque dilacera os olhos.
E não me venham dizer que é inocente,
passiva e benigna porque não posso acreditar.
A minha saudade tem mulheres
agarradas ao pescoço dos que partem,
crianças a brincarem nos passeios,
amantes ocultando-se nas sebes,
soldados execrando guerras.
Pode ser uma casa ou uma rede
das que não prendem pássaros nem peixes,
das que têm malhas largas
para deixar passar o vento e a pressa
das ondas no corpo da areia.
Seria hipócrita se dissesse
que esta saudade não me vem à boca
com o sabor a fogo das coisas incumpridas.
Imagino-a distante e extinta, e contudo
cresce em mim como um distúrbio da paixão.

                                                    José Jorge Letria

segunda-feira, 25 de julho de 2011